Secretaria Municipal de Assistência Social promove Ação Preventiva nas praias de Miracema
Publicado em: 13/07/2018 ás 18:19:00

A Secretaria de Assistência Social de Miracema do Tocantins, por meio do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI); Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS); Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Criança e do Adolescente (SCFV/CA); Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e o Conselho Tutelar realizou nesta sexta feira, 13, Ação Preventiva contra o Trabalho Infantil, Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e o uso abusivo de drogas nas Praias de Miracema do Tocantins. 

A ação contou com a parceria dos Barraqueiros e Banhistas da Praia Mirassol, Funil e Paredão, locais de grandes movimentações turísticas na temporada de praia. Visto que a violação de direitos da criança e do adolescente tem sido recorrente em nosso município, a equipe mobilizou-se com o objetivo de conscientizar e orientar barraqueiros, banhistas e comunidade em geral contra tais práticas, utilizando, para isso, forma lúdica e objetiva com entrega de panfletos, colagem de cartazes e um bate papo construtivo, a fim de que a população denuncie eventuais ocorrências de situações contrárias estabelecidas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e na Constituição Federal.

Para a satisfação da equipe e de todos que acreditam e lutam por uma infância saudável, todos os barraqueiros assinaram um Termo de Orientação e Compromisso e colocaram-se à disposição para combater tais mazelas sociais.

A ação foi orientada pelo auditor fiscal do Trabalho, Jalson Jácomo do Couto, o qual disponibilizou o Termo de Orientação e Compromisso para os Barraqueiros que se dispuseram a lutar contra o Trabalho Infantil, Abuso e Exploração Sexual e uso abusivo de drogas na infância. 

A Secretaria de Assistência Social agradece a população pela receptividade e a convida a fazer parte desta luta. A orientação é de que caso a pessoa tenha presenciado ou suspeitado de práticas violadoras que prejudicam a moralidade, a formação e o desenvolvimento físico, psíquico, moral e social de crianças e adolescentes, denuncie, discando 100 ou no 3366-2336 (Conselho Tutelar).

Notícias relacionadas